Iodo 150μg

Extrato de Alga Fucus Vesiculosus

- 50 Comprimidos -

O produto contém Extrato de Kelp (Alga Fucus Vesiculosus), que é uma fonte rica e natural de Iodo.
O Iodo é um mineral essencial para o homem e outros animais e é imprescindível para o correcto funcionamento da glândula Tiróide, que por sua vez sintetiza as hormonas Tiróideas Tiroxina (T3) e Triiodotironina (T4).

Qual a função do Iodo no nosso organismo?
O Iodo tem como função fundamental a biossíntese das hormonas Tiróideas. Estas hormonas têm diversas funções no nosso organismo e determinam variados mecanismos metabólicos. Actuam no crescimento físico e neurológico, no metabolismo basal e assim na manutenção da temperatura corporal, controlam todos os passos metabólicos da oxidação celular, interferindo no metabolismo dos lípidos, dos hidratos de carbono, das proteínas, da água e de alguns minerais, com reflexos na reprodutividade.
São em suma muito importantes para o funcionamento de diversos órgãos como o coração, o fígado, rins, ovários.

O Iodo também desempenha um papel importante na actividade cerebral e ajuda a manter a saúde da pele. Além disso, contribui para o bom funcionamento do sistema nervoso.

Ingestão deficiente
A deficiente ingestão de Iodo, manifesta-se através de uma alteração da hormona Tiroideia, muito conhecida: o Bócio. O Bócio é o aumento visível do tamanho da glândula, que é o reflexo da sua tentativa de captar uma maior quantidade de Iodo para a produção de T3 e T4.

Mas não é esta a única manifestação clínica da deficiência. A carência pode tornar-se muito grave. O Hipotiroidismo, deficiente funcionamento da glândula Tiróide, pode também manifestar-se por falta de energia, pele seca, descamativa ou amarelada, queda de cabelo, dormência e formigueiro nas extremidades, aumento de peso, perda de memória, depressão, anemia, alterações da personalidade, aumento dos níveis de colesterol e de homocisteína e também pode causar o síndrome do túnel cárpico.

Durante a gravidez e infância pode resultar em cretinismo nas crianças ou atraso mental grave irreversível e limitações motoras graves, surdo-mudez, anomalias congénitas, também aumenta o risco de nados-mortos, abortos, mortalidade materna e nascimento de crianças com peso baixo.

Nas áreas do mundo onde a deficiência de Iodo é muito alta, existe maior incidência de cancro da Tiróide.
O Iodo também se concentra no tecido mamário, e a deficiência de Iodo nos seios manifesta-se como a doença fibrocística da mama (seios doloridos com nódulos e cistos muitas vezes sintomáticos antes da menstruação).

20% de Iodo no organismo humano é armazenado na pele, especificamente nas glândulas sudoríparas. A falta de Iodo nestas glândulas manifesta-se como pele seca e a diminuição da capacidade para transpirar.

O Iodo também pode estar concentrado no tecido do estômago, e a falta manifesta-se como acloridria (falta de produção de ácido digestivo). O Iodo é utilizado pelas células do estômago, também conhecidas como células parietais, para concentrar cloreto, elemento que é necessário para a produção do ácido clorídrico (ácido digestivo). A falta prolongada de ácido clorídrico (acloridria) provoca uma maior incidência de cancro de estômago.

O Iodo também se encontra concentrado nas glândulas lacrimais do olho e, a falta de Iodo pode causar o mal do olho seco.

O Iodo também pode estar concentrado nas glândulas parótida e submandibular da boca, a deficiência de Iodo pode resultar em boca seca.

Estudos mostraram uma relação entre a deficiência de Iodo e a presença de quistos nos ovários. Quanto maior é a deficiência de Iodo, maior quantidade de quistos ovarianos produzirá a mulher.
Na sua forma extrema, esta condição é conhecida como doença dos ovários policísticos.


Diabetes: existe o potencial do Iodo restaurar a sensibilidade hormonal normalizando-a e melhorando significativamente a sensibilidade à Insulina e outras hormonas.

Função Cardiovascular: A deficiência hormonal da Tireóide sobre a função cardiovascular pode ser caracterizada pela diminuição da contractilidade miocárdica e pelo aumento da resistência vascular periférica, bem como pelas alterações no metabolismo dos lipídeos. A melhoria da função da Tiróide pode normalizar o colesterol, a pressão arterial e certos tipos de arritmia.

Na Dentição: Os dentes precisam de Iodo e não de flúor. O Iodo, além de elevar o QI, tem a função de tratar os dentes, sem os problemas da toxicidade do flúor.

Como Desintoxicante: O Iodo produz quelatos de metais pesados e tóxicos para o ser humano como o mercúrio, chumbo, cádmio e alumínio e dos halogénios, como flúor e brometo, possibilitando a sua eliminação pelo organismo. Os quelatos têm como principais aplicações o tratamento de envenenamentos e a correcção de deficiências nutricionais minerais.

Osteoporose: Os problemas da Osteopenia (pequena perda de Cálcio) observados em alguns pacientes têm relação com a deficiência de Iodo. A falta de Iodo provoca o Hipotireoidismo e complicações ósseas de curto prazo. Se o Iodo fosse administrado em conjunto com a hormona da Tiróide, esta anormalidade poderia ser evitada. Assim, as pessoas com uma ingestão diária adequada de Iodo provavelmente nunca desenvolveriam Osteoporose.

A glândula Tiróide utiliza o Iodo para sintetizar a hormona da Tiróide. A hormona da Tiróide faz com que os ossos cresçam, amadureçam e se modifiquem quando necessário.

Na Gravidez: As mulheres em preconcepção, grávidas ou a amamentar devem tomar um suplemento diário de Iodo ? 150 a 200µg/dia, desde o período preconcepcional, durante toda a gravidez e enquanto durar o aleitamento materno exclusivo.

Porque é que é as necessidades aumentam para as grávidas e lactantes?
A ingestão adequada de Iodo é ainda mais determinante para mulheres que planeiam engravidar ou que já estejam grávidas ou amamentem, porque o crescimento e desenvolvimento do cérebro é máximo durante o período fetal e nos primeiros anos de vida. Ou seja, no período da preconcepção é importante a suplementação para que hajam reservas deste micronutriente logo no início da gestação.

Durante a gravidez a ingestão de Iodo deve satisfazer as necessidades da mulher, para a produção das suas próprias hormonas Tiróideas que vão ser essenciais para o normal funcionamento do metabolismo da mulher, bem como crescimento e desenvolvimento cerebral do feto e futuro bebé.

Quando a ingestão de Iodo é insuficiente pode resultar em inadequado desenvolvimento cognitivo e/ou comportamental e, no caso de uma deficiência grave da ingestão de Iodo, cretinismo na criança.
Enquanto estiver a amamentar em exclusivo, o leite materno é a única fonte de Iodo a que o bebé terá acesso, pelo que, mais uma vez a mulher deve ingerir quantidades suficientes para as suas necessidades e para as do bebé.

 A Dose Diária contém:

poso/1 comp.

Alga (Kelp - Fucus Vesiculosus); Contem 150µg de Iodo

30,0mg

Efeitos:
? É importante para o desempenho cerebral.
? Contribui para a produção normal das hormonas da tiróide.
? Aumenta a sensibilidade à Insulina e outras hormonas.
? Ajuda a normalizar o colesterol, a pressão arterial e certos tipos de arritmia.
? Ajuda nos problemas relacionados com a dentição.
? Produz quelatos, ajudando na desintoxicação do ornanismo.
? Ajuda na prevenção da Osteoporose.
? Ajuda na prevenção de determinados tipos de cancro.
? Ajuda a manter a pele saudável.

Ingredientes:
Agente de enchimento: Fosfato Dicálcico; Antiespumantes: Celulose Microcristalina, Dióxido de Silício; Extrato de Alga (Fucus Vesiculosus) em Pó; Agente de Revestimento: Ácido Esteárico; Estabilizador: Estearato de Magnésio.

Dosagem: 1 comprimido por dia durante uma refeição. Tomar com água.

Atenção: Não exceder a dose diária recomendada. Os suplementos alimentares, não devem de ser utilizados como um substituto de uma dieta variada. Não recomendado para crianças menores de 3 anos! Manter fora do alcance das crianças. Armazenar em local seco e escuro, a temperaturas inferiores a 25ºC.